Quer aparecer aqui?  Veja Como


Ano
Pesquisar

A vida sexual das plantas

Autor: Regina Motta - Data: 11/09/2017
RSS

O artigo "Seleção sexual em plantas" publicado pela ecóloga norte-americana Mary F. Willson, apontou evidências científicas de que tanto a competição entre machos quanto a escolha pelas fêmeas são importantes forças evolutivas também para as plantas, bem como a imensa diversidade de flores que decorre desses processos.


Flor de maracujá - hermafrodita
Maracujá Passiflora edulis autor CostaPPPR

Segundo o texto, algumas plantas trocam de sexo durante a vida, outras se recusam a "fazer sexo" com indivíduos aparentados, e há ainda as que nunca fazem sexo. A evolução dessa grande diversidade reprodutiva deve-se a intensas disputas sexuais entre os indivíduos. Esses embates no mundo das plantas vêm sendo confirmados, mas por muito tempo foram desconhecidos - até mesmo por Charles Darwin, considerado um evolucionista (1809-1882) - ou contestados.


Mamão macho
Mamão macho autor TRAPHITHO

Segundo as pesquisas, as plantas possuem uma imensa diversidade sexual, podendo, em alguns casos, reconhecerem claramente machos ou fêmeas, mas na maioria delas os indivíduos exercem tanto o papel feminino quanto o masculino. Em se tratando de sexo, as plantas são escandalosamente liberais. Muitas só fazem sexo consigo mesmas. Outras fazem sexo simultaneamente com vários vizinhos ou com parceiros casuais que vivem a centenas de quilômetros de distância


Mamão fêmea
Mamão autor Nanthapong


Para que nas plantas (como nos animais) possa haver variabilidade genética, é imprescindível que haja fecundação cruzada, ou melhor, que haja o óvulo de uma planta sendo fecundado por um grão-de-pólen de outra planta. Esta variabilidade genética é imprescindível para que a recombinação de certas características aconteça

De acordo com uma publicação da revista Ciência Hoje, que trata da semelhança entre a fecundação das plantas e a vida sexual humana, esses vegetais competem por oportunidades de acasalamento e "escolhem" seus parceiros sexuais, traçando até mesmo estratégias reprodutivas que evoluíram ao longo do tempo, gerando flores de cores, formas e cheiros variados.

Entre as plantas existe também a reprodução assexuada ou propagação vegetativa, ou seja, um processo onde há a formação de uma nova planta sem que haja "sexo".
O desequilíbrio ambiental que há hoje pode afetar a fecundação das plantas e, portanto, culminar na perda de algumas espécies, Outro efeito é o uso excessivo de inseticidas e outros insumos tóxicos pela atividade agroindustrial, levando à significativa perda de insetos na natureza que poderiam estar atuando como agentes polinizadores, portanto com função essencial para fecundação das plantas.

A preservação de espécies de animais polinizadores é importante não apenas para a biodiversidade do planeta, mas para garantir a oferta de alimentos para a população. Mais de três quartos das principais lavouras de alimentos no mundo dependem, em algum grau, dos serviços de polinização animal, seja para garantir o volume ou a qualidade da produção e cerca de 90% das plantas também dependem dessas espécies.


Abelha
Abelha autor edmondlafoto


beija-flor
Beija flor autor Bananebrei


borboleta
Borboleta ulleo


inseto
Inseto ambadysasi

Você gostará também:
Relação entre as plantas e a fauna

Criaturas benéficas para as plantas de jardim e paisagismo

Plantas que atraem beija-flores para seu jardim

Do sexo das plantas ao fruto

As plantas também dormem

As plantas também dormem


Compartilhar:



e-Book gratuito: Como se destacar no mercado de paisagismo

Login Requerido

Fazer Login para comentar

  


7 Visões
Destaque-se no mercado de paisagismo


Cadastre-se Grátis
Conversar no Whatsapp
X

Receber alertas das publicações do site


Que tal se manter sempre informado das novidades do mundo do paisagismo? Informe seus dados para mantermos contato!