Quer aparecer aqui?  Veja Como


Ano
Pesquisar

Amazonia

Autor: Javier Dominguez Angulo - Data: 22/02/2021
RSS


Embora possa parecer surpreendente, o negócio da Amazônia não consiste em esgotá-la, mas em fazê-la crescer por belos corredores de selva. Fronteiras e limites agrícolas de finos corredores de selva até chegar à Mata Atlântica.
Precisamente algo semelhante vem acontecendo há uma década na região de São Paulo, criando pequenos corredores para conectar a Mata Atlântica, em cujos espaços intermediários os sem-terra podem se instalar e criar pequenas propriedades agrícolas, Corredores da vida



Por sua vez, a experiência da Rede de Reservas Naturais da Costa Rica é incrível https://www.reservasnaturales.org/

Ao contrário do que acontece no Estado de São Paulo, onde uma floresta fragmentada precisa ser interligada, aqui os Parques Naturais são os protagonistas.
Para aumentar a extensão dos Parques sem comprar terras caras, a Administração da Costa Rica dá incentivos fiscais, serviços administrativos e turísticos aos proprietários de terras vizinhas, para que plantem a flora da selva compatível com suas atividades econômicas e aumentem os corredores de fauna.
O resultado são atividades econômicas compatíveis com a floresta, enquanto ela aumenta.
Fazem isso há décadas e o ecoturismo se tornou um poderoso motor da economia costarriquenha, algo que ainda não acontecia no Estado de São Paulo.
No entanto, as experiências brasileira e costarriquenha são atividades complementares.
Em suma, limites agrícolas e limites de finos corredores de selva amazônica, até chegar à Mata Atlântica.
Por que este projeto paisagístico e não outro? Esta proposta nasce observando o modelo ibérico de gestão da floresta, o montinho.
O montinho ibérico (Portugal e Espanha) é uma floresta derrubada que se for abandonada, a floresta se recupera novamente. Se for criada uma grande rede de corredores amazônicos nas fronteiras de lavouras e fazendas de pecuária, o território se desbota, gerando novas fontes de renda para agricultores e pecuaristas, com terras com microclima mais úmido e com renda extra do ecoturismo.
Uma paisagem diferente e marcante que as pessoas gostariam de ver, pois a selva raramente é a fronteira das plantações. E, onde plantações ou gado são abandonados, a floresta fecha.
A experiência paulistana da interconexão da selva, a experiência costarriquenha de ampliação das áreas protegidas e o desenho ecológico do mato são um trio vencedor para a Amazônia.

Javier Domínguez Angulo, paisagista, designer do Olivar de miel (www.olivaresdemiel.es)

Você gostará também:

A importância das Abelhas para a vida na Terra

Projetos de reflorestamento e de compensação ambiental

Você conhece o Instituto Mamirauá da Amazônia?

Meio Ambiente: De quantas árvores você precisa para viver?


Compartilhar:



Guia: Como se destacar no mercado de paisagismo

Login Requerido

Fazer Login para comentar

  


Mostre seus produtos para o público certo!
Destaque-se no mercado de paisagismo


Cadastre-se Grátis
Conversar no Whatsapp +55(32)3217-1501
X

Receber alertas das publicações do site


Que tal se manter sempre informado das novidades do mundo do paisagismo? Informe seus dados para mantermos contato!