Quer aparecer aqui?  Veja Como


Ano
Pesquisar

Plantas brasileiras contra a mudança climática

Autor: Regina Motta - Data: 08/07/2014
RSS

Artigo publicado pela Unicamp divulga pesquisas que buscam comprovar que algumas plantas brasileiras podem ajudar a enfrentar os impactos das mudanças climáticas.
Plantas resistentes como o seriguela e o umbuzeiro, nativas da caatinga, e a sucupira preta do cerrado, demonstram um incrível capacidade de regeneração e enfrentamento das secas e temperaturas elevadas.


Seriguela, ciriguela ou ciruela (Spondias purpurea)

Pesquisadores da Embrapa e do Centro Tecnológico de Pesquisas em Informática e Agricultura (CNPTIA) buscam no genoma destas espécies a explicação para esta resistência. De posse destes dados, poderão ser usados para ajudar a cultura de grãos como o milho, soja e feijão adquirirem a mesma resistência aos fatores climáticos.


Spondias mombin cajazeira

Segundo os pesquisadores, o Brasil é o maior celeiro do mundo em espécies resistentes ao aquecimento global, em especial espécies do Cerrado e do Semi árido. Algumas têm grande capacidade adaptativa como a árvore Pacari, frutos do Baru e Cagaita, assim como a Cajazeira. Estas espécies, além de sua utilização nas pesquisas, devem ser usadas como fonte de renda da população local em detrimento do cultivo de exóticas.


Spondias mombin cajazeira


Sucupira-preto (Bowdichia virgilioides Kunth)

A concentração de gases de efeito estufa na atmosfera aumentou mais de 20% em 30 anos. Estratégias como integração entre lavoura, pecuária e florestas, plantio diretamente na palha, uso de bactérias fixadoras de nitrogênio, uso de micro e macronutrientes no solo, adubo organominerais, são fundamentais, além do melhoramento genético. Também a criação de gado em confinamento está sendo discutida no mundo todo. Ele pode resultar em menor emissão de gases, mas torna o rebanho vulnerável ao Mal da Vaca Louca.


Umbuzeiro ou Imbuzeiro (nome cientifico: Spondias tuberosa

A melhor alternativa, até agora, é o melhoramento e recuperação das pastagens. Estudos da Embrapa demonstram que o gado em pasto degradado produz mais de 32Kg de CO2 por ano por quilo de peso. Já o gado em pasto recuperado produz menos de 3kg de CO2 por quilo de peso.


Cagaita - Eugenia dysenterica


Árvore de baru (Foto: Lilian Brandt)
O baru ou cumbaru (nome cientifico: Dipteryx alata)


Pacari - Lafoensia pacari Saint-Hilaire

Valorizemos nossa riqueza vegetal, nela pode estar a salvação para este país!

Você gostará também:

Árvore Sagrada do Sertão: Árvore que dá de beber
9 mil anos- A mais antiga árvore viva do mundo
Gigantes da natureza: conheça as maiores árvores do mundo!
Erytrina Dominguezii: Uma lenda da Argentina - árvore que já foi mulher
Plantas do cerrado nos jardins de Burle Marx
Plantas nativas da Caatinga, bioma rico e pouco conhecido
Paisagismo no Brasil: plantas de todos os biomas
Biomas Brasileiros e Paisagismo
Aposentadoria verde: Plantar árvores é um bom negócio
Paisagismo com plantas nativas: aguçando os sentidos




Compartilhar:



e-Book gratuito: Como se destacar no mercado de paisagismo

Login Requerido

Fazer Login para comentar

  


7 Visões
Mostre seus produtos para o público certo!


Cadastre-se Grátis
Conversar no Whatsapp
X

Receber alertas das publicações do site


Que tal se manter sempre informado das novidades do mundo do paisagismo? Informe seus dados para mantermos contato!