Quer aparecer aqui?  Veja Como


Ano
Pesquisar

Carnaúba, a Árvore da Vida

Autor: Regina Motta - Data: 22/09/2012
RSS

Nome Popular: Carnaubeira
Nome Científico: Copernicia Prunifera (Arr.)
Ela é chamada de Árvore da Vida, porque se presta a uma infinidade de usos ao homem. As raízes têm uso medicinal.Os frutos são ricos em nutrientes para a ração animal, o tronco é madeira de qualidade para a construção.As palhetas secas são usadas na produção artesanal, fertilizante do solo, revestimento de casas, etc O fornecimento de cera de folhas jovens é utilizada no fabrico de velas, filmes plásticos e fotográficos, vernizes, lubrificantes, fósforos, isoladores, , cosméticos.Participa da composição de cobertura, a confecção de chips, tonners, e indústria alimentícia.No Nordeste brasileiro habitações inteiras são construídas com materiais retirados de Carnaúba. É o exemplo máximo da adaptação do homem às condições de subsistência
Países como a Alemanha, Índia, Japão e Estados Unidos já tentaram sem sucesso cultivar essa palmeira.Carnaubeira - Copernicia Prunifera (Arr.)



Um fato importante é que sua colheita não agride o meio ambiente, uma vez que as folhas extraídas renascem na safra seguinte.

A Carnaúba é uma das principais espécies extrativas do semi-árido nordestino, desenvolvendo-se nas áreas baixas circundantes aos recursos hídricos, várzeas e planícies de inundação, constituindo as chamadas matas-galerias ou matas-ciliares, sendo que no Estado do Ceará a sua maior ocorrência dá-se nos vales dos rios Coreaú, Acaraú, Jaguaribe e Cauípe.



É encontrada nos Estados do Ceará, Piauí, Rio grande do Norte. Mas ainda existem carnaubais no Maranhão, Bahia (no vale do São Francisco). Pernambuco e Paraíba.
Foi apenas a partir de 1920 que a carnaúba começou a crescer dentro do cenário moderno, sendo utilizada no polimento de assoalhos, além de matéria-prima para fabricar papel-carbono, graxa para sapatos e discos de vinil.

Após 1950, a oferta já não conseguia suprir o consumo, fazendo com que a cera fosse sendo substituída por derivados do petróleo, que eram também mais baratos. Mesmo assim, ela nunca deixou de ser utilizada, sendo considerada um artigo de luxo, e com aplicações que não podem ser substituídas por produtos inflamáveis, como em microchips, onde atuam como isolantes térmicos. Hoje, a carnaúba é utilizada em mais de 60 produtos, desde eletrônicos a cosméticos.
Por ser uma planta nativa, a carnaúba não necessita de adubação, agrotóxicos, ou mecanização agrícola. Ela é representativa para o Ceará, Piauí e Rio Grande do Norte. E gera emprego e renda para os trabalhadores rurais de julho a dezembro, justamente os meses sem atividade na agricultura familiar em toda a região.



A Carnaúba continua entre os produtos mais exportados do Ceará.
É a única palmeira de sua tipologia nativa do Ceará. Diferentemente de um ipê roxo e um ipê amarelo, que sem a florada não poderá ser identificada, não existe uma planta semelhante a ela na flora nativa, de acordo com o biólogo Francisco Eli Araujo Briseno Vieira, do Instituto Carnaúba.

Com as adaptações devido ao clima, suas folhas são espinhentas e caule esbranquiçado. A carnaúba nunca pode perder todas as suas folhas, pois morreria. Para poder ficar exposta ao sol, ela desenvolveu uma cera que impermeabiliza a folha, fazendo com que ela não perca liquido para o ambiente, explica Eli Araujo Vieira.
A chegada da planta ornamental nativa de Madagascar, conhecida como Boca de Leão, ou unha do diabo,Cryptostegia grandiflora está reduzindo a população de carnaúba, árvore símbolo do Ceará, Rio Grande do Norte e Piaui.



Esta trepadeira vem criando sérios prejuízos ao desenvolvimento da carnaúba e produção de cera.
Como hoje os carnaubais acabam indo para os rendeiros, alguns não possuem o cuidado de extrair essa trepadeira, que pode levar a carnaúba à morte. Os donos dos carnaubais, em que grande parte perdeu a tradição, não conhecem os perigos e prejuízos que essa planta causa
Os que retiram sua sobrevivência da carnaúba devem estar atentos as formas de manuseio corretas, já que como árvore nativa da região não há conflito dela com outras plantas ou mesmo animais,

Para mudar esse quadro, o Instituto da Carnaúba realiza um trabalho de conscientização junto aos produtores e extratores, mostrando a eles as vantagens do manuseio correto da carnaubeira. Eles informam que o plantio é simples e pode ser feito em comunhão com outras plantas, como feijão e mandioca.

Você vai gostar também de:
Barbatimão: a farmácia do sertão
Tillandsias: tesouro secreto dos desertos
Paisagismo e reflorestamento com Arvores Brasileiras: uma história de sucesso
Plantas ornamentais: Árvore Canhão. àrvore sagrada
Plantas nativas da Caatinga, bioma rico e pouco conhecido
Paisagismo no Brasil: plantas de todos os biomas
Plantas do cerrado nos jardins de Burle Marx
Paisagismo com plantas nativas: aguçando os sentidos
Árvore Sagrada do Sertão: Árvore que dá de beber


Compartilhar:



e-Book gratuito: Como se destacar no mercado de paisagismo

Login Requerido

Fazer Login para comentar

  

Comentários

22/01/2013 07:27:37

Somos produtores de plantas em Goiás, principalmenete palmáceas,dentre elas a CARNAÚBA Copernicia prunífera e o CARANDÁ Copernicia alba, nativo do pantanal e chaco.Tranplantamos palmeira semi adultas com 3,oom, o carandá é melhor de pegamento.

02/10/2012 13:00:54

Sua opinião é muito importante para nós! Estamos sentindo falta de seus artigos para o Blog

01/10/2012 19:20:29

Excelente !!!


Conteúdo gratuito para paisagistas inscreva-se no canal da AuE Software!
7 Visões
Mostre seus produtos para o público certo!


Cadastre-se Grátis
Conversar no Whatsapp +55 (32) 9 9138-8279
X

Receber alertas das publicações do site


Que tal se manter sempre informado das novidades do mundo do paisagismo? Informe seus dados para mantermos contato!