Quer aparecer aqui?  Veja Como


Ano
Pesquisar

Brasil: Qual o legado ambiental para a próxima geração?

Autor: Regina Motta - Data: 09/11/2014
RSS

Desde o descobrimento, através da Carta de Pero Vaz de Caminha enviada ao Rei de Portugal contando das maravilhas da nova terra descoberta onde dizia "Águas são muitas, infinitas..." criou-se a ideologia de que, sendo o Brasil o "berço das águas" com 12% de toda a água doce do mundo, estaríamos imunes à escassez deste bem essencial à vida.
Seca no Nordeste já era comum, aceita como um problema local e, para minimizá-la, programas e mais programas, governos e mais governos, sem resultados palpáveis, sempre um desperdício de recursos de forma fraudulenta.
Agora estamos diante de uma situação que nos deixa estarrecidos! Qual o legado ambiental que deixaremos para as próximas gerações? O que foi feito do berço das águas?
Quem poderia imaginar que o nosso Rio da Integração Nacional, o São Francisco, fosse secar?
A tragédia anunciada tantas vezes e que custou a vida de Chico Mendes e outros ambientalistas, nunca foi levada a sério! Marina Silva, Chico Mendes, ONGs Ambientalistas, pessoas que se envolvem com o desmatamento, são consideradas ECOCHATAS, que travam o progresso e inibem o desenvolvimento. Afinal, florestas conservadas não rendem lucros, vale muito mais abatê-las e colher grãos!
E agora estes grãos que ocuparam o espaço da floresta não podem ser transportados porque os rios por onde passavam estão vazios.
Segundo o INPE (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais) a quantidade de queimadas no país aumentou 70% entre janeiro e outubro deste ano, em relação ao mesmo período do ano passado e os incêndios foram mais frequentes em Mato Grosso, Pará e Maranhão, justamente onde houve o maior avanço da agropecuária na Amazônia Legal!
Até meados de outubro, foram mais de 140 mil focos de incêndio no país, destruindo flora, fauna e até vidas humanas!
O governo diz que: A legislação ambiental brasileira é uma das mais completas do mundo. Apesar de não serem cumpridas da maneira adequada, as 17 leis ambientais mais importantes podem garantir a preservação do grande patrimônio ambiental do país. Se não são cumpridas, como a maioria de nossas leis, de que valem?
Confesso que as imagens, divulgadas na mídia, da situação do Rio São Francisco, desde a nascente, já SECA, até a sua foz, me emocionaram até às lágrimas!
E não é só o São Francisco, o Paraíba do Sul, que abastece grande parte de Minas Gerais e Rio de Janeiro, a situação de calamidade em São Paulo e em todo o Sudeste! A culpa de tudo isso não pode ser delegada A São Pedro e as Chuvas, não é?
Em matéria divulgada, Recursos federais para revitalização do Rio São Francisco caem 70%. A revitalização ficou só na promessa, enquanto verba para retirar recursos hídricos da bacia cresceu 47%.
Enquanto os recursos para aumentar a quantidade e a qualidade de água da bacia hidrográfica somaram R$ 760 milhões desde 2012 e agora estão paralisados, o aporte para as obras de transposição alcançou R$ 2,7 bilhões no triênio, e chegará a R$ 8,2 bilhões em dezembro de 2015, quando a obra deve iniciar a operação de bombeamento de água. Isto se houver água...

VALOR DA TRANSPOSIÇÃO:
O valor da construção saltou de R$ 4,7 bilhões para R$ 8,2 bilhões entre compensações ambientais, desapropriações e despesas com mão de obra. Apenas em licitações, o Tribunal de Contas da União (TCU) identificou sobrepreço de R$ 876 milhões, além de R$ 248 milhões em aditivos acima do limite estipulado por lei.(http://ultimosegundo.ig.com.br/)

Como transpor a água de um rio que está morrendo? É como retirar o oxigênio de um moribundo!

Pirapora - MG

Onde o rio sempre foi navegável! - Pirapora - MG
Fonte: http://colunaesplanada.blogosfera.uol.com.br/2014/10/02/com-nascente-seca-rio-sao-francisco-agoniza-em-pirapora/



Obra de transposição do rio São Francisco

Obra de transposição do rio São Francisco
http://geopoliticablog.blogspot.com.br/2014/03/transposicao-do-rio-sao-francisco-chega.html



Serra da Canastra - MG

Nascente, hoje só existe o marco, água acabou. Serra da Canastra - MG
g1.globo.com



Barragem de Três Marias - MG

Onde havia pesca - Barragem de Três Marias - MG
http://www.pescamadora.com.br/ministerio-publico-acompanha-situacao-do-nivel-do-rio-sao-francisco-em-mg/



Três Marias - MG

Três Marias - MG
A represa gerava renda para toda a região, principalmente pelo turismo de pesca.



DESMATAMENTO NA AMAZÔNIA

Dados oficiais: Em agosto e setembro foram devastados 1626 km² de florestas, um crescimento de 122% sobre o mesmo período de 2013. Um dos fatores para o aumento pode ser a expansão da agropecuária, que é o único setor da economia cujo PIB tem crescido significativamente.
Qual a relação entre o desmatamento e a seca?
Simplificando: As plantas na Amazônia transpiram em média 4 mm de água por dia, representando 4 litros por metro quadrado.
Esta transpiração da floresta leva chuvas para o Sul e Sudeste, com o corte das árvores e transformação da floresta em pasto, esta transpiração cai para 1 mm por dia.
Em 40 anos a floresta sofreu degradação, representada por corte seletivo de árvores de grande porte por madeireiras numa área de 2 milhões de km².
20% da floresta sofreu corte raso, que é a eliminação total das árvores o que representa uma área equivalente a 184 milhões de campos de futebol ou 2 vezes a área da Alemanha e França juntas ou 3 estados de São Paulo. (Fonte: A Tribuna, ES, 8/11/2014)

Aliada a toda esta devastação e à seca, temos, infelizmente, o hábito de esbanjamento de água, um conceito arraigado no país que se julga a fonte das águas, desde o descobrimento.
Os europeus, por terem passado por muitas guerras, aprenderam a lidar com a escassez da água, o que não ocorre aqui.
Interessante observar que, em uma pesquisa feita nos EUA, avaliando uma campanha de economia voluntária de água, constatou-se que a classe social mais alta tem mais resistência em mudar hábitos. O mesmo resultado aconteceu em pesquisa feita na Austrália.

QUAL SERÁ A SOLUÇÃO PARA A DESERTIFICAÇÃO DESTE PAÍS?

Penso que, além da tomada de consciência de governos, em todos os níveis, nós também somos co-responsáveis. Cada qual fazendo a sua parte.
PRESERVAR - PLANTAR - POUPAR
E você, qual é a sua opinião?

Você gostará também de:

Metodologia para reflorestamento com árvores nativas

Ouro verde brasileiro - Um ilustre desconhecido relegado ao acaso

Plantas brasileiras contra a mudança climática

A água do mundo está acabando? Uma abordagem geral do problema

Florestas no Brasil, nativas e plantadas

Brasil: Berço das águas, rios compõem sua identidade

Paisagismo e reflorestamento: Árvores Brasileiras, uma história de sucesso!

Paisagismo no Brasil: plantas de todos os biomas

Aposentadoria verde: Plantar árvores é um bom negócio


Compartilhar:



e-Book gratuito: Como se destacar no mercado de paisagismo

Login Requerido

Fazer Login para comentar

  

Comentários

17/11/2014 09:05:20

Agradeço a sua apreciação! Ela é muito importante para nós! Concordo plenamente com o "fazer a nossa parte", mas às vezes a gente tem impressão de que estamos "chovendo no molhado", não é?
Vamos nos espelhar no Mestre Darcy Ribeiro:
"Sou um homem de causas. Vivi sempre pregando, lutando, como um cruzado, pelas causas que comovem. Elas são muitas, demais: a salvação dos índios, a escolarização das crianças, a reforma agrária, o socialismo em liberdade, a universidade necessária. Na verdade, somei mais fracassos que vitórias em minhas lutas, mas isso não importa. Horrível seria ter ficado ao lado dos que venceram nessas batalhas."
Darcy Ribeiro

13/11/2014 20:51:44

Ótima matéria sobre triste realidade. Cabe a cada um de nós cobrar das autoridades competentes a observância das leis, através de fiscalização. Entretanto, cabe a cada um de nós, também, lembrar que o coletivo capaz de mudar para melhor, é composto por indivíduos. Portanto, façamos a nossa parte, já por demais conhecida de cada um.


Conteúdo gratuito para paisagistas inscreva-se no canal da AuE Software!
7 Visões
Mostre seus produtos para o público certo!


Cadastre-se Grátis
Conversar no Whatsapp +55 (32) 9 9138-8279
X

Receber alertas das publicações do site


Que tal se manter sempre informado das novidades do mundo do paisagismo? Informe seus dados para mantermos contato!