Quer aparecer aqui?  Veja Como


Ano
Pesquisar

Aposentadoria verde: Plantar árvores é um bom negócio

Autor: Regina Motta - Data: 23/02/2010
RSS

Plantar árvores - uma nova e boa opção para investir e ter uma renda garantida no futuro, sem contar com os benefícios ao meio ambiente, além de evitar o desmatamento das florestas.

O setor florestal brasileiro movimenta mais de US$40 bilhões de dólares (75 bilhões de reais) por ano. A demanda é grande e a oferta é pequena - um mercado altamente atrativo para investimentos, portanto plantar árvores é um bom negócio.

O consumo no Brasil é de 300 milhões de metros cúbicos de madeira, ao ano, e apenas 30% vêm do reflorestamento. Com as exigências rigorosas quanto à certificação de procedência e a pressão para a redução do corte de árvores nativas, o setor de reflorestamento cresce muito e atrai investidores.


Mogno brasileiro Swietenia_macrophylla autor Vengolis

O mogno, por exemplo, considerado "Ouro verde" devido ao alto valor comercial, foi o responsável pela devastação das áreas indígenas da floresta amazônica. Hoje, considerado em extinção, é proibida a sua retirada da floresta. Apenas as árvores de plantio autorizado podem ser comercializadas. E a demanda é altíssima, tanto no mercado interno como externo.

O investimento em mogno deve ser acompanhado por um técnico, para que seu retorno futuro seja garantido.

Veja estes números:
Em um hectare de terra é possível plantar 277 mudas de mogno. O primeiro desbaste se dá aos 9 anos, quando se corta a metade das árvores. O valor da madeira, hoje, seria de R$1700,00 o metro cúbico, receita de R$80 mil por hectare.

Aos 18 anos, será feito o segundo e último corte, quando o metro cúbico vale, em valores atuais, R$3.500,00 e a receita chega a R$450 000,00 por hectare.
O investimento necessário. hoje, para plantar um hectare de mogno por 18 anos seria de R$73 000,00. (Fonte Eng Agrônomo Rogério Emílio Chiabai - A Tribuna - 14/02/2010)

Plantar árvores em terras ociosas e inaproveitadas, solos profundos, planos ou levemente ondulados, terras de uso agropecuário.

Plantar eucalipto e espécies exóticas - controvérsias

O Brasil é um país de dimensão continental e de condições de clima e solo altamente favoráveis para a implantação de florestas. O desenvolvimento das espécies exóticas utilizadas, principalmente o pinus e o eucalipto, demonstra resultados espetaculares, com ciclos silviculturais entre 6 e 7 anos, bem diferentes dos países de grande tradição florestal, como a Suécia, Canadá e Austrália, cujos ciclos nunca são inferiores aos 60 e 80 anos.

O eucalipto não foi escolhido por mero acaso, como o gênero potencialmente mais apropriado,algumas vantagens:

a) Rápido crescimento volumétrico e potencialidade para produzir árvores com boa forma;
b) Características silviculturais desejáveis, como bom incremento, boa forma, facilidade a programas de manejo e melhoramento, tratos culturais, desbastes, desramas etc;
c) Grande plasticidade do gênero, devido à grande diversidade de espécies, adaptando-se às mais diversas condições;
d) Elevada produção de sementes e facilidade de propagação vegetativa;
e) Adequação aos mais diferentes usos industriais, com ampla aceitação no mercado.

Parte das críticas contra o eucalipto é conseqüência de expectativas frustradas, resultantes de programas malsucedidos de reflorestamento. As falhas ocorridas na implantação e manejo dos primeiros povoamentos contribuíram para a formação de florestas desuniformes e com baixa produtividade.

"A adesão ao desenvolvimento não implica necessariamente na destruição da natureza. É de consenso que devem existir florestas artificiais de alta produtividade, que devem ser bem manejadas, para que sejam sustentáveis; paralelamente, devem existir as ares de florestas naturais, parcial ou completamente preservadas, menos produtivas e mais estáveis. Respeitando as regras mínimas de convivência com a natureza, o homem será capaz de obter lucros e garantir a sobrevivência, sem temores, das futuras gerações" (Prof. José de Castro Silva Professor DEF/CEDAF/UFV Universidade Federal de Viçosa)

O tempo e a evolução dos lucros com outras árvores, tendo por base a mesma medida de terreno:

Eucalyptus cinerea, Eucalipto-prateado , Eucalipto-cinzento , Dólar-de-prata Eucalyptus citriodora, Eucalipto-limão Eucalyptus ficifolia, Eucalipto-vermelho , Eucalipto-folha-de-figueira
Eucalipto - 1667 árvores - 7 anos e receita de R$7 500,00, 14 anos R$25300,00, 21 anos R$39000,00

Pinus caribaea Pinheiro-do-caribe , Pinho-do-caribe , Pinho-branco Pinus elliottii Pinheiro , Pinus Pinus radiata Pinheiro-de-monterey , Pinheiro-insular
Pinus - 1666 árvores - renda aos 8 anos R$600,00, aos 12 anos R$1600,00, aos 21 anos R$12400,00

Terminalia catappa Castanheira , Amendoeira , Amendoeira-da-índia , Chapéu-de-sol , Sombreiro , Sete-copas , Noz-da-praia Calophyllum inophyllum Landim , Tamanu , Guanandi-da-ásia
Teca e guanandi - 1700 árvores - renda em 30 anos R$750 000,00

Pense nisso!!

Se você precisa de mudas destas espécies, entre em contato com:

Ciprest Mudas Frutíferas e Oranamentais

JCL Paisagismo Ltda

Inez Paisagismo

Ilha Bonsai

Itropica Viveiro de Mudas

Onieger Abritta

Leia também:

Paisagismo e reflorestamento com plantas nativas: as mudas, onde estão?

Mata Atlântica - Reserva da Biosfera


biomas Brasileiros e Paisagismo

Fontes: Prof Luiz Fernando Schettino - UFES
Pedro Galveas - Coordenador do Programa de Silvicultura do ES
CEAGRO


Compartilhar:



Guia: Como se destacar no mercado de paisagismo

Login Requerido

Fazer Login para comentar

  

Comentários

20/07/2011 11:05:56

Prezado Gabriel, pesquise aqui mesmo no site, na caixa de pesquisa, por teca e marque plantas. Clique na foto e verá informações sobre a planta e a listagem dos fornecedores para os quais você pode enviar uma mensagem através do site. Boa sorte no seu empreendimento!

19/07/2011 18:13:02

Parabens pela materia, muito interessante.
Gostaria de saber mais sobre a TECA.
No aguardo

12/03/2010

Você tem razão, Carlos, sobre os cuidados que devem ser tomados na questão do mogno. Hoje a madeira precisa ser certificada para ser comercializada, visando a preservação das espécies nativas.
Quanto ao eucalipto, é mesmo uma questão controversa - existem os à favor, e os contra! (como tudo na vida, não é?)
Vi uma pesquisa sobre o assunto e passo para você:
Ao contrário do que se acredita, sobre o eucalipto ser o "gigante ladrão de água" na mata atlântica, estudos mais aprofundados sobre esta espécie comprovam que este "grande ladrão, que seca os riachos e nascentes", não passa de mito, perdendo feio pro nosso amigo amarelinho, o milho, que comprovadamente, é um verdadeiro ladrão de água. Poucos estudos foram feitos até hoje para identificar quais espécies de animais habitam as florestas de Eucalipto.

http://serverbs.bscac.ufsc.br/criacac/tiki-index.php?page=EUCALIPTO

05/03/2010

Achei este artigo muito interessante e informativo, porém, gostaia de fazer duas observações:
1) A plantação de Mogno aqui no Brasil é permitida sem restrições, mas, na hora de comercializar o produto existe uma barreira muito grande chamada IBAMA. A comercialização do Mogno no Brasil está proibida, (para evitar a extinção da planta nativa das florestas) sendo assim, quem se interessar pela empreitada é conveniente fazer uma pesquisa minuciosa antes de começar o plantio.
2) O Eucalipto pode reunir todas as caracteristicas, as melhores possiveis, porém, em grandes quantidades, literalmente acaba com pequenas nascentes e detona o lençol freático nas proximidades da area plantada.

Abração a todos e pensem no assunto.


Webinar: Marketing Digital para Paisagismo [06/07 às 17:00]. Inscreva-se grátis!
Mostre seus produtos para o público certo!
Destaque-se no mercado de paisagismo


Cadastre-se Grátis
Conversar no Whatsapp +55(32)3217-1501
X

Receber alertas das publicações do site


Que tal se manter sempre informado das novidades do mundo do paisagismo? Informe seus dados para mantermos contato!