Quer aparecer aqui?  Veja Como


Ano
Pesquisar

Terrários: A natureza em vidros

Autor: Rômulo Cavalcanti Braga - Data: 15/12/2014
RSS

Eles mexem com a imaginação porque parecem um resumo da natureza, que você observa de cima, como se fosse um gigante. "Terrários podem ser feitos em qualquer tipo de vaso desde que seja transparente". Essas paisagens em miniatura também são uma ótima idéia para quem vive em espaços pequenos e deseja resgatar a proximidade com o verde.



O Terrário é um recipiente fechado, onde podemos cultivar algumas espécies de plantas, simulando o seu ambiente natural. Observando as características ambientais que cada planta do recipiente encontra no seu habitat natural (o tipo de solo, umidade do ar, quantidade de luz). Num terrário conseguimos acompanhar como é a incrível vida das plantas e ver a maneira com elas interagem no ambiente onde vivem.
O Terrário pode ser considerado uma estufa em miniatura, onde podemos ver, de forma simplificada, que assim como na natureza, existe um ponto de equilíbrio perfeito entre os seres vivos e o inanimado e mesmo que não pareça cada um tem a sua função. Mas tudo isso só é possível graças aos ciclos que são criados lá dentro.



O segredo dos Terrários está nos processos vitais que as plantas realizam: a fotossíntese, a respiração e transpiração. Todos os seres vivos precisam de água e energia para sobreviver não é mesmo? As plantas, ao contrário dos outros seres, são capazes de fabricar seu próprio alimento para obter essa energia.
As partes verdes das plantas (que contêm clorofila - que é responsável pela cor verde), na presença da luz, fazem a fotossíntese: captam a energia da luz e o gás carbônico do ar juntamente com a água e sais minerais do solo, processam todo conjunto e transformam em glicose e liberam para a atmosfera o oxigênio.
Já na respiração acontece o inverso: utilizando a energia produzida e armazenada com a fotossíntese, as plantas captam o oxigênio do ar, e liberam o gás carbônico de volta para atmosfera. Enquanto tudo isso acontece, a água também realiza o seu ciclo. Com o aumento da temperatura, a água que foi colocada uma única vez no Terrário, evapora do solo e se junta ao vapor dágua resultante da transpiração das plantas. Quando o vapor encosta na parede do recipiente, que está com uma temperatura mais baixa, ele se condensa em gotículas de orvalho e escorre novamente para o solo, molhando a terra.



MONTAGEM DO TERRÁRIO
Recipiente de vidro, plástico, acrílico ou qualquer outro material transparente (de preferência de boca larga com tampa. Pedriscos, carvão vegetal. Substrato Básico - 1/3 de areia lavada, 1/3 de condicionador de solo, 1/3 de esterco de gado peneirado ou húmus de minhoca, Plantas de pequeno porte, água.
MONTAGEM - Certifique-se de que o recipiente que será utilizado está limpo; isso influencia na proliferação de fungos e bactérias.
Montagem das Camadas = Coloque dentro do vidro, uma camada de pedriscos e sobre ela uma camada de areia; em seguida, coloque o substrato básico misturado ao carvão vegetal triturado. Com o dedo faça um buraquinho para plantar cada uma das mudas escolhidas. Essas camadas representam de forma simplificada, as condições do solo favoráveis ao bom desenvolvimento das plantas. Os pedriscos farão a drenagem da água, o carvão vegetal irá absorver os gases gerados, evitando o mau cheiro, e o substrato básico servirá como base fixadora e fornecerá nutrientes para as plantas.



COMPOSIÇÃO CÊNICA
Para ajudar na decoração, coloque algumas pedrinhas de formato interessante, pequenos galhos de árvores secos, de forma a fazer uma composição paisagística, de forma que o ambiente pareça o mais natural possível.
ÁGUA - Regue seu terrário, mantendo-o com o solo úmido, sem encharcá-lo; aproveite para limpar o lado interno do recipiente, e depois, por fora, limpe com um papel toalha ou pano macio. Feito isso, é só tampar o cobrir com plástico filme, de forma que não fique nenhuma fresta; e seu terrário estará pronto.
OBSERVAÇÕES PARA TER LONGA DURAÇÃO E BELEZA
Acima de tudo, lembre-se: no interior do terrário existe vida e cada planta se comporta de uma maneira diferente. Isso quer dizer que algumas delas podem se adaptar melhor as condições internas e viver mais tempo do que as outras.
LUZ - A luz do sol é fundamental para o desenvolvimento das plantas; por isso, o recipiente deve ficar num local claro, mas sem a incidência dos raios solares, pois se isso acontecer haverá o efeito da lente de aumento sobre o vidro e o aquecimento do ar interno, o que ocasionará a queima das plantas contidas dentro do mesmo.



UMIDADE - As regas não devem ser frequentes. Uma vez regado, o ciclo da água já estará ocorrendo lá dentro. Somente se o recipiente estiver muito encharcado (o vidro pode ficar muito embaçado, sem que seja possível ver as plantas lá dentro), você deve abri-lo por algumas horas e depois fechá-lo novamente. Se a transpiração não estiver ocorrendo (sem gotículas no vidro), você pode regá-lo com brumas proporcionadas por um aspersor (poucas brumas).
ADUBAÇÃO E PODA - As plantas que habitam um terrário não têm muito espaço para se desenvolver, sendo assim desnecessária a adubação. O substrato utilizado no mesmo é preparado com composto orgânico, que fornece os nutrientes necessários para que elas possam se desenvolver. Conforme as plantas forem crescendo, você terá podá-las. Essa operação deverá ser feita cuidadosamente e com muito critério com ajuda de uma tesoura pequena esterilizada.



MANUTENÇÃO E LIMPEZA - A vantagem do terrário é que ele não requer grande manutenção. Você deve retirar as folhas e ramos caídos. No ambiente natural, as bactérias e fungos decompõem as partes mortas das plantas, liberando nutrientes para o solo e gás carbônico na atmosfera. Porém dentro do terrário, um ambiente fechado, úmido e sem ventilação, se houver muita matéria orgânica a ser decomposta, pode ocorrer a proliferação excessiva de bactérias e consequentemente, o excesso de gás carbônico no ar, em quantidades muito maior do que as plantas poderão absorver durante a fotossíntese, e isso causará desiquilíbrio de todo sistema.
FLORESTA ENCAPSULADA - O terrário nada mais é que uma capsula onde são mantidos exemplares vegetais em preservação em total equilíbrio harmônico e ecológico.
PLANTAS RECOMENDADAS - Dentre tantas variedades existes no mercado, as mais interessantes a serem utilizadas dado à rusticidade, são as suculentas, cactáceas e Bromélias.
Rômulo Cavalcanti Braga é especialista em Tillandsias e um grande produtor.
Contato: romulocbraga@uol.com.br
Ouro verde - boiatche bromeliario
Você gostará também de:
A História dos Terrarium
Principais espécies de Bromélias - 2
Principais espécies de Bromélias
Cultivo de Bromélias e Tillandsias no Brasil
Bromélias
Margareth Mee, a dama das bromélias, pesquisadora de nossas plantas ornamentais
As bromélias e a dengue
Algas marinhas, substrato para Bromélias e Orquídeas
Erros e acertos no cultivo de Brmélias


Compartilhar:



Guia: Como se destacar no mercado de paisagismo

Login Requerido

Fazer Login para comentar

  


Curso de Marketing Digital para Paisagismo
Mostre seus produtos para o público certo!
Destaque-se no mercado de paisagismo


Cadastre-se Grátis
Conversar no Whatsapp +55(32)3217-1501
X

Receber alertas das publicações do site


Que tal se manter sempre informado das novidades do mundo do paisagismo? Informe seus dados para mantermos contato!