Quer aparecer aqui?  Veja Como


Ano
Pesquisar

Paisagismo: Paisagista Alexandre Kempinsky, GENTE QUE FAZ

Autor: Regina Motta - Data: 24/10/2018
RSS

Hoje, nossos leitores vão ter a oportunidade de saber mais um pouco sobre um profissional de excelência, nosso parceiro no www.paisagismodigital.com.

GENTE QUE FAZ: Alexandre Kempinsky da
METRO CÚBICO PAISAGISMO E JARDINAGEM


É motivo de orgulho e satisfação contar com profissionais de alto nível em nosso site e nos sentimos honrados por apresentá-lo.

Como começou o seu interesse pela área de paisagismo? O que o levou à decisão de escolher este caminho tão necessário à qualidade de vida das pessoas e ao bem do Planeta em que vivemos?

Eu tenho uma formação bastante eclética, vai desde cursos técnicos de Mecânica industrial, Eletrotécnica, como de bacharel em design de produto e arquitetura, também com pós-graduação de engenharia e gerenciamento de projeto.
No começo eu procurava algo em que pudesse aplicar toda minha área de conhecimento em uma profissão e, assim, surgiu o meu interesse pelo paisagismo, que foi despertado através da faculdade, esta que é uma disciplina do curso de arquitetura e urbanismo. Também, observando a carência, no mercado de nossa região, de profissionais habilitados para atuar neste campo, resolvemos mergulhar de cabeça nesta nova profissão, trazendo conceitos industriais e tecnológicos para a área.




Houve dificuldades no início? Como as venceu?

R: Sim, como qualquer profissão tivemos barreiras a serem superadas.
No inicio, era por falta de experiência, até na execução de jardins.
Lembro que houve um orçamento, em 2014, que fizemos para execução de um jardim e acabamos ficando com o melhor preço. E, quando ligamos para perguntar como estava o processo, a compradora nos informou que já tinha fechado com outra empresa e, apesar do nosso ter sido o melhor preço, ela nos falou que não tínhamos experiência na área.
Estas barreiras foram vencidas com o tempo, hoje, atuamos com projetos e execução de jardins nas maiores industrias de Joinville.


Fale-nos sobre a Metro Cúbico Paisagismo e Jardinagem. São várias as áreas de atuação que ela oferece, além do Show Room de Jardins, não é? Qual delas lhe proporciona maior prazer e realização?

R: A "Metro Cúbico Paisagismo e Jardinagem" atua fortemente em projetos, implantação e manutenção de jardins. Buscamos oferecer ao nosso cliente a solução completa de arquitetura externa, para isso contamos com uma equipe de 8 pessoas, entre elas arquiteto, designer, administrador, pedreiro, carpinteiro e jardineiros.

A empresa foi fundada em 2014, nos conceitos de sustentabilidade. Nosso show-room possui 1000,00m2 de jardins e, ao todo, possuímos mais de 150 espécies ornamentais plantadas no chão, com 13 pequenos ambientes montados, não só com plantas, mas também decks, pergolados, móveis de jardins etc.

Nosso espaço serve para base de projeto, quando projetamos um ambiente novo, muitas vezes o cliente quer ver a planta ao vivo, é aí que o convidamos para passear no nosso jardim e ver as opções de arbustos, forrações, herbáceas, trepadeiras e palmeiras pois, em floriculturas tradicionais, as plantas estão em caixinhas e possuem um tamanho reduzido, não mostrando como vai ficar no jardim.
Sem dúvida, minha maior satisfação esta ligada à execução do projeto, quando o sonho do cliente sai do papel e se torna realidade e, o que era planejamento, vira realidade.






São vários os diferenciais que a Metro Cúbico Paisagismo e Jardinagem oferece. Pode nos contar um pouco sobre eles?

Viemos das industrias multinacionais, onde a troca de informação e aplicação dos conceitos de gerenciamento são impostas pelas matrizes de outros países, no meu caso Alemanha, Itália e Suíça. Desta forma, ficando por dentro das novidades em termos de gestão que estão ocorrendo nos dias de hoje, pode não parecer, mas o conceito indústria 4.0, pode influenciar nossa área também.

Sendo assim, acredito que nosso grande diferencial está na aplicação dos conceitos industriais no paisagismo, como metodologia aplicadas em sistemas Kaizen, Kanban, 5S, gerenciamento de projeto, entre outros, elevando a área do paisagismo a outro patamar, passando do atual "qualquer um faz" para realmente o "profissionalismo" no paisagismo.


Você usa os nossos softwares. Como você trabalhava antes de utilizá-los? Qual a maior dificuldade que sentia?

Quando começamos atuar na área, o software AutoLANDSCAPE foi a primeira aquisição da empresa, nunca atuamos sem ele, pois sabíamos da necessidade de se ter um embasamento sólido para iniciarmos na nova atividade.

Aqui também entra o que falamos sobre os conceitos industriais e tecnológicos: hoje atuamos fortemente com o AutoLANDSCAPE para projetos técnicos, ele sendo BIM (Building Information Model), agiliza nosso trabalho de uma maneira inacreditável, tanto para gerenciar, projetar e executar.
Faz parte do planejamento estratégico da empresa a aquisição de todos os software da AuE Software, pois sabemos da importância de aplicação de tecnologia na nossa área, esta tecnologia que já esta no DNA da "Metro Cúbico".



Imaginamos que todos os projetos são caros ao seu criador, mas há algum que lhe deu maior sentimento de realização?

Todos nosso projetos são especiais, cada um com suas particularidades, alguns grandes, outros menores, mas todos especiais.
Porém, o primeiro projeto que marcou nosso ciclo na área de paisagismo, foi um projeto+execução de um espaço de 49m2. O cliente queria cascata, lago, deck e pergolado em um espaço reduzido, foi o que fizemos: Organizamos de uma maneira que o lago contorna o deck, de modo a parecer que a sala de estar fica flutuando na lagoa, e a ponte para atravessar também tem forma geométrica, o que acabou dando um charme a mais para o ambiente.
Meu cliente, apaixonado por carpas, hoje em dia chega a tomar banho no lago com os peixes. E já deixou claro: Agora, quando se mudar, vai nos contratar novamente para fazer outro ambiente externo.




Na história do Paisagismo, como em todas as manifestações artísticas, existem tendências e "modas" que vão sendo substituídas por outras. Qual a tendência mais atuante hoje?

Hoje. aqui em Joinville, devido à verticalização da cidade e as edificações cada vez menores (como geminadas), não sobra muito espaço de jardim. Então a solução é verticalizar o jardim também, assim nossa grande pedida, são os jardins verticais que, além de funcionarem como decoração, trazem benefícios para os moradores, como filtragem do ar, conforto térmico e valorização do imóvel.

Qual seria a sua recomendação para os iniciantes que se decidem pela profissão de Paisagista?

É um mercado que está crescendo cada vez mais no Brasil, e o sucesso na nova profissão depende de qual o nível de profissionalismo que se quer chegar! Por isso, digo que um bom paisagista, além de muito estudo, planejamento e dedicação tem que gostar de colocar a mão na terra, porque, paisagista de prancheta, tem em toda a esquina.


Projeto executivo com o AutoLANDSCAPE

Saiba mais sobre Alexandre Kempinsky
Mídia

Você gostará também:

Gente que faz: Suzana de Mello Aleixo e Árvores Brasileiras

Entrevista: Paisagista Marisa Lima, GENTE QUE FAZ!

Gente que faz: Paisagista Fabio Márquez - Argentina

GENTE QUE FAZ: Maria Luiza Puzzi e a COQUIM@ Empresa certificada pela UNESCO




Compartilhar:



e-Book gratuito: Como se destacar no mercado de paisagismo

Login Requerido

Fazer Login para comentar

  


7 Visões
Destaque-se no mercado de paisagismo


Cadastre-se Grátis
Conversar no Whatsapp
X

Receber alertas das publicações do site


Que tal se manter sempre informado das novidades do mundo do paisagismo? Informe seus dados para mantermos contato!